LAMINA SUCUPIRA NATURAL - N295
Ref.: 2191


Por apenas

R$ 27,17 à vista - 8%

 


Compra 100% segura


Descrição completa

O preço apresentado refere-se ao metro quadrado (m²) da lâmina.

Por se tratar de uma lâmina natural, as cores, formas e desenhos apresentados nas imagens podem variar.
Caso necessário, solicite fotos do produto para conferir estas característcas antes do envio.

 

Características:

Nome científico: Bowdichia spp., Leguminosae. Diplotropis spp., Leguminosae.

Outros nomes populares: cutiúba, macanaíba, macanaíba-pele-de-sapo, sapupira, sapupira-da-mata, sapupira-parda, sebepira, sucupira-açu, sucupira-da-terra-firme, sucupira-da-várzea, sucupira-do-igapó, sucupira-marreta, sucupira-parda, sucupira-preta, sucupira-roxa.

Nomes internacionais: coeur de hors, sapupira, sucupira (ATIBT,1982BSI,1991), tatabu, zwarte-kabbes.

Ocorrência: 
 Brasil: Amazônia, Mata Atlântica, Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rondônia.
 Outros países: Colômbia, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname, Venezuela.

Características sensoriais: cerne e alburno distintos pela cor, cerne pardo-escuro-acastanhado; aspecto fibroso; brilho ausente; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade alta; dura ao corte; grã irregular a revessa; textura grossa.

Descrição anatômica macroscópica: 
 Parênquima axial: visível a olho nu, paratraqueal aliforme, vasicêntrico e confluente em trechos curtos oblíquos. 
 Raios: visíveis apenas sob lente no topo e na face tangencial; finos; poucos; estratificados em Bowdichia (2 por mm). 
 Vasos: visíveis a olho nu, grandes; poucos; porosidade difusa; solitários predominantes e múltiplos de até quatro vasos; obstruídos por óleo-resina ou substância branca. 
 Camadas de crescimento: indistintas.

Durabilidade natural: a Madeira de sucupira, em ensaio de laboratório, demonstrou ser resistente ao ataque de organismos xilófagos (fungos e cupins). (IPT,1989a) A espécie Diplotropis purpurea é considerada resistente aos cupins e susceptível ao ataque de perfuradores marinhos. O alburno não é resistente ao ataque de brocas-de-Madeira do gênero Lyctus. Em ensaio de campo, com a Madeira em contato com o solo, esta Madeira apresentou vida superior a 15 anos. (Berni et al.,1979

Tratabilidade: em ensaios de laboratório, quando submetida à impregnação sob pressão, a Madeira de sucupira demonstrou ser pouco permeável às soluções preservantes. (IPT,1989a) O alburno é fácil de ser preservado e o cerne é impermeável ao creosoto e CCA-A, mesmo em tratamento sob pressão. (IBAMA,1997a